domingo, 30 de novembro de 2014

Aos vivos



as pessoas vão embora assim

no sopro suave dos ventos


dobram a esquina do tempo


carregadas depois em


carreatas de


anjos dourados


os vejo


no céu em forma de nuvens


acenando e sorrindo


nem aí para as lágrimas que descem ao chão


egoísmo puro egoísmo


essa coisa de morrer


um brinde aos que nascem


e a tudo o que está vivo


inclusive


à memória dos que já tenham ido


e aos convívios


do agora


eu brindo


!



            - Graça Carpes


7 comentários:

  1. Maravilha, Graça Carpes.
    Sucesso sempre!

    ResponderExcluir
  2. Interessantíssimo a forma como abordou em apenas um texto temas do nosso cotidiano: A suposta morte e as lagrimas de quem sente a falta e brinde ao nascimento. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. ...so remember

    Goodbye doesn't mean forever
    Abraço, Graça Carpes!

    ResponderExcluir